Erros em indicadores derrubaram diretor da Eletropaulo, dizem fontes

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016 18:19 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - Erros em indicadores de qualidade da distribuidora de energia Eletropaulo que fizeram a empresa provisionar 152 milhões de reais nos últimos dois balanços trimestrais foram vistos como "grosseiros" pela fiscalização do regulador estadual e derrubaram o diretor de Operações da empresa em 2015, segundo duas fontes e documentos vistos pela Reutes.

A companhia foi multada em 77 milhões de reais pela agência paulista Arsesp, sendo uma infração de 31,5 milhões no final de 2015 e uma de 45,7 milhões em janeiro deste ano, por má qualidade e falhas nos dados que medem duração e frequência de blecautes.

A fiscalização disse que encontrou "erros grosseiros" e "nível baixo de confiabilidade" nos dados da AES Eletropaulo, além de outras irregularidades, incluindo casos de não pagamento ou atraso na compensação a consumidores afetados pelas interrupções no serviço, que pela legislação devem receber créditos na conta de luz.

As inconsistências foram resultado da comparação de dados colhidos em campo pelos técnicos de fiscalização em relação aos informados pela distribuidora à Aneel.

Duas fontes próximas ao assunto disseram que os problemas derrubaram o diretor de Operações da companhia, Otavio Rennó Grilo.

Os dados sobre as "inconsistências" nos indicadores foram a público em novembro de 2015, quando a companhia divulgou as primeiras provisões relacionadas ao assunto junto com o balanço do terceiro trimestre.

A Reuters tentou contato com o ex-executivo, mas não obteve retorno.

Em seu perfil no Linkedin, Grilo aponta que deixou a AES Eletropaulo em agosto de 2015. Na mesma época, o executivo Saulo Ramos aponta no seu perfil na rede social ter iniciado como diretor de Operações na empresa.   Continuação...