ENTREVISTA-Aneel poderá ampliar prazos para obras da Abengoa que sejam vendidas

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016 19:21 BRT
 

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA (Reuters) - A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) poderá ampliar prazos para a conclusão de obras da Abengoa no Brasil caso os projetos sejam vendidos como parte da solução para os problemas da companhia, que ameaçam projetos de transmissão fundamentais para o país.

Contudo, a Aneel não permitirá mudanças nas receitas dos empreendimentos, afirmou o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, em entrevista à Reuters, nesta sexta-feira.

Ele disse ainda que prefere uma solução de mercado para a crise da Abengoa, mas não descartou medidas mais fortes como retomada das concessões no país ou mesmo uma intervenção.

"A Aneel prefere uma solução de mercado, negociada, mas não descarta medidas mais fortes como a caducidade (perda da concessão) ou até a intervenção", disse Rufino.

A Abengoa tem sete empreendimentos de transmissão em operação no Brasil e nove em construção, segundo Rufino.

"A gente vem fazendo um esforço no sentido de que pudesse ser uma solução de mercado, porque definitivamente a empresa não tem demonstrado condição de seguir com a construção dos empreendimentos que ela ganhou em licitações", disse Rufino.

Segundo ele, a venda das concessões que estão em operação seria mais simples, mas as que estão em construção podem ter condições menos atrativas para os eventuais compradores, como os deságios na remuneração dos projetos oferecidos pela Abengoa para vencer os leilões.

Ele salienta que alguns desses leilões ocorreram em condições econômicas distintas das atuais, mas a Aneel apenas poderia apenas, no caso de venda dos ativos, ampliar prazos para a entrega das obras.   Continuação...