Governo estuda solução para sobras de energia de distribuidoras, diz ministro Braga

terça-feira, 1 de março de 2016 15:27 BRT
 

(Reuters) - O governo federal acompanha "com muito carinho" a situação das distribuidoras de energia elétrica do país, que temem enfrentar prejuízos com um excesso de energia contratada devido à redução na demanda com a recessão e a tarifas elevadas, afirmou nesta terça-feira o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga.

"Obviamente, a sobrecontratação atual tem a ver com a queda de consumo... Estamos com uma reunião marcada entre hoje e amanhã aqui no ministério com técnicos que estão analisando essa questão", disse Braga a jornalistas em Brasília.

Ele comentou ainda que deverá ser feita uma revisão do portfólio de contratos das distribuidoras para cancelar compras de energia junto a usinas que não serão construídas, como térmicas do Grupo Bertin e usinas eólicas que tinham comprado equipamentos da fabricante argentina Impsa, que entrou com pedido de recuperação judicial em 2014.

"Precisamos tirar da pilha de contratos porque essa energia não entrará... Temos que trabalhar com números reais."

Segundo Braga, o assunto é estudado no ministério, mas ainda não existe qualquer decisão sobre o tema.

Na semana passada, o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, disse à Reuters que o regulador estuda permitir que geradores e distribuidoras negociem bilateralmente postergação na data de início do contrato de usinas que estão atrasadas, como forma de mitigar o excesso de contratação.

(Por Luciano Costa)