BC mantém juros básicos em 14,25% ao ano em decisão novamente dividida

quarta-feira, 2 de março de 2016 20:54 BRT
 

Por Marcela Ayres

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central manteve nesta quarta-feira pela quinta reunião seguida a taxa básica de juros em 14,25 por cento ao ano, em decisão dividida e em linha com as expectativas dominantes no mercado, sugerindo que não deve cortar a Selic tão cedo apesar da fraqueza na economia e em meio à alta inflação.

Há três reuniões as decisões do Copom são divididas, com os diretores Sidnei Corrêa Marques (Organização do Sistema Financeiro) e Tony Volpon (Assuntos Internacionais) votando pela elevação dos juros em 0,5 ponto percentual.

A dinâmica se repetiu nesta quarta-feira, com a manutenção da Selic sendo votada pelos seis demais integrantes do Comitê de Política Monetária (Copom).

"É preciso ficar atento aos votos dos dissidentes, porque eles é que vão dar o viés do Copom. Quando eles mudarem os votos deles, isso vai querer dizer que o Copom vai baixar os juros na próxima reunião", disse o economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito.

O comunicado do BC nesta quarta-feira veio praticamente igual ao da última reunião, em janeiro, com a diferença de que, desta vez, a autoridade monetária citou incertezas em sua ponderação, ao invés da "elevação das incertezas".

"Avaliando o cenário macroeconômico, as perspectivas para a inflação e o atual balanço de riscos, e considerando as incertezas domésticas e, principalmente, externas, o Copom decidiu manter a taxa Selic em 14,25 por cento ao ano, sem viés", informou.

A mudança no comunicado, segundo o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves, significa a "confirmação de que as incertezas se elevaram".

"Confirmou-se determinado nível de incerteza que justifica a manutenção (da Selic)", disse.   Continuação...