Câmara aprova aumento da mistura de biodiesel no diesel; projeto aguarda sanção

quinta-feira, 3 de março de 2016 14:39 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira o projeto de lei 3834/15, do Senado, que aumenta gradativamente o percentual de biodiesel no diesel vendido no Brasil, atualmente em 7 por cento.

A proposta, que deve beneficiar especialmente a indústria de soja --atualmente a principal matéria-prima para a produção de biodiesel--, agora vai à sanção presidencial, segundo informação do site da Câmara.

Pelo projeto, esse percentual de biodiesel no diesel subirá para 8 por cento por até um ano após a edição da lei, 9 por cento em até 24 meses depois da aprovação e 10 por cento após 36 meses.

O texto aprovado permite ainda que o percentual chegue a 15 por cento, se testes e ensaios em motores validarem a utilização da mistura e desde que se obtenha aval do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), acrescentou texto publicado no site da Câmara.

Além de ser um combustível menos poluente, o uso de mais biodiesel na mistura com o diesel reduz a necessidade de importações do combustível fóssil pelo país.

"O aumento gradativo (da mistura)... reduz a dependência externa de diesel e favorece a indústria nacional, diminuindo a ociosidade com a consequente ampliação da produção", disse o diretor-superintendente da União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio), Donizete Tokarski.

SOJA NO BIODIESEL

O óleo de soja ganhou participação de outros óleos como matéria-prima do biodiesel do Brasil em 2015, atingindo a maior fatia desde 2011, após o país ter colhido uma safra recorde da oleaginosa em meio a um crescimento na produção do biocombustível, impulsionada por uma mistura mandatória elevada para 7 por cento desde o final de 2014.   Continuação...