Hidrovias do Brasil recebe autorização para expandir terminais de grãos no Pará

quinta-feira, 3 de março de 2016 15:18 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Secretaria de Portos (SEP) assinou dois termos aditivos nesta quinta-feira para que a Hidrovias do Brasil expanda projetos de terminais de grãos em construção no porto de Vila do Conde, em Barcarena, e no distrito de Miritituba, ambos no Pará.

Os aditivos resultarão em investimentos de 167 milhões de reais, de acordo com comunicado da SEP.

"No total, o investimento para implantar o maior complexo portuário para escoamento de grãos da região Centro-Oeste agora alcançará 872 milhões de reais", disse a secretaria.

O presidente-executivo da Hidrovias do Brasil, Bruno Serapião, disse à Reuters no mês passado que o terminal de transbordo de Miritituba começaria a receber cargas entre fevereiro e março.

A Hidrovias, que tem contratos com Noble Agri, Nidera e Multigrain, tradings controladas por asiáticos, está finalizando a construção do terminal fluvial em Miritituba, no encontro da BR-163 com o rio Tapajós, onde soja e milho levados de caminhão serão colocados em barcaças.

A empresa não projetou o volume que será embarcado pelos terminais em 2016, mas a expectativa é de atingir uma capacidade de 6,5 milhões de toneladas ao ano em até cinco anos, com investimentos totais de 1,5 bilhão de reais, incluindo obras em terra e a aquisição de barcaças e empurradores.

O projeto da Hidrovias é o maior a operar até o momento no binário Miritituba-Barcarena, onde a Bunge foi a primeira a exportar soja.

(Por Gustavo Bonato)