Governo federal fará leilões de energia em 2016 mesmo com demanda menor, diz EPE

sexta-feira, 4 de março de 2016 13:09 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governo federal deverá promover diversos leilões de energia neste ano para a contratação de novos projetos, mesmo com uma menor demanda por eletricidade no país, afirmou nesta sexta-feira o presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Mauricio Tolmasquim.

"Vamos ter todos os leilões: A-3, A-5 e de reserva, mesmo com demanda baixa... com certeza vai ter”, disse ele a jornalistas em evento no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

Ele admitiu, no entanto, que a expectativa é que haja pouca demanda pela contratação de projetos nos leilões A-3 e A-5, que contratam usinas para entrar em operação em três e cinco anos, respectivamente.

"Grande parte das distribuidoras está sobrecontratada", disse.

Segundo Tolmasquim, o governo federal ainda não definiu se fará um ou dois leilões de reserva, que têm como objetivo reforçar a segurança do sistema e, por isso, não dependem da demanda das distribuidoras.

Já está definido, no entanto, que os leilões de reserva contratarão usinas solares, eólicas e pequenas centrais hidrelétricas (PCHs e CGHs).

“No leilão de reserva temos mais flexibilidade para contratar e não depende da distribuidora. Queremos manter também a cadeia produtiva ativa e com encomendas”, explicou.

Executivos de energia eólica chegaram a comentar mais cedo nesta semana que há preocupação no mercado com uma possível desaceleração de contratações, justamente devido a um temor de que a falta de leilões gere ociosidade na indústria.

Nesta semana, o governo anunciou o adiamento para 29 de abril do que seria o primeiro leilão de energia para contratar novos projetos em 2016, o A-5.   Continuação...