Goiás prevê disputa em leilão da elétrica Celg-D; minimiza atraso de edital

terça-feira, 8 de março de 2016 12:39 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - O leilão de privatização da distribuidora goiana de energia Celg-D deverá ser reagendado nos próximos dias, quando está prevista a publicação do edital, e o atraso em relação ao cronograma original não é algo que possa atrapalhar o certame, que deverá ter mais de um consórcio na disputa.

A avaliação é o do presidente da CelgPar, Fernando Navarrete --a holding, do governo de Goiás, detém cerca de 49 por cento da elétrica, controlada pela federal Eletrobras.

Ambos acionistas venderão a totalidade da participação na concessionária, cujo leilão estava marcado para 31 de março, uma data que já não é factível devido ao atraso na publicação do edital, que precisa ser divulgado com ao menos 30 dias de antecedência, conforme antecipou a Reuters.

"Nossa expectativa é de que seja um leilão disputado, até porque a concessão da Celg-D é hoje o principal e melhor dos ativos de distribuição no mercado... apesar dos fatores externos que podem influenciar no leilão, acho que é uma concessão extremamente atrativa", disse o presidente da CelgPar, Fernando Navarrete, em entrevista à Reuters.

O leilão da elétrica terá um preço mínimo de cerca de 2,8 bilhões de reais, considerando todas as participações, mas o negócio envolverá pelo menos 5,2 bilhões de reais se somadas as dívidas a serem assumidas pelo comprador.

Navarrete minimizou o atraso para a publicação do edital e disse acreditar que a situação será resolvida brevemente.

"Não há nenhum motivo para esse atraso, que pode se chamar de pequeno, que não seja o necessário zelo para produzir um edital bem feito, que seja aprovado com tranquilidade pelo Tribunal de Contas da União (TCU)".

Ele estimou que o edital seja publicado em até dez dias.   Continuação...