ENTREVISTA-Cronograma de reformas do governo não muda com crise política, diz Nelson Barbosa

quarta-feira, 9 de março de 2016 17:04 BRT
 

Por Marcela Ayres e Alonso Soto

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, mantém o cronograma preparado por ele para envio das propostas de reformas Fiscal e da Previdência ao Congresso, apesar de reconhecer uma deterioração do cenário político da semana passada para cá.

Segundo ele, as duas reformas serão encaminhadas para o Legislativo entre este mês e o fim de abril.

Barbosa espera que medidas relacionadas à área econômica que já estão no Congresso possam ter a tramitação retomada o mais rápido possível.

Em entrevista à Reuters nesta quarta-feira, o ministro rebateu a avaliação de agentes do mercado financeiro de que eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff faria a economia do país melhorar.

Na semana passada, notícias de delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), ex-líder do governo no Senado, e fase da operação da Lava Jato que teve como alvo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fizeram o dólar cair ante o real e a Bovespa registrar alta.

"A melhor solução para o momento atual é fazer uma combinação de medidas que dê espaço para o governo estabilizar a economia no curto prazo", afirmou Barbosa, citando maior espaço fiscal, "normalização da oferta de credito" e reformas estruturais.

"O governo atual é o mais qualificado, o mais apto a promover essas reformas", disse o ministro.

Ele reconheceu, no entanto, que a piora do ambiente político atrasa o andamento de medidas importantes que já foram enviadas ao Legislativo, como a recriação da CPMF.   Continuação...

 
Ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, durante entrevista à Reuters em Brasília. 9/3/2016. REUTERS/Ueslei Marcelino