Usiminas diz que decisão sobre aumento de capital ainda não foi tomada

quarta-feira, 9 de março de 2016 19:07 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Usiminas afirmou nesta quarta-feira que até o momento ainda não há qualquer decisão sobre uma operação de aumento de capital ou de injeção de recursos na companhia, em meio à discussão dos acionistas controladores da companhia sobre um resgate financeiro da siderúrgica.

Em comunicado ao mercado, a Usiminas confirmou que o assunto será tratado em reunião de seu Conselho de Administração marcada para sexta-feira.

"Está efetivamente convocada reunião para 11 de março para deliberar, entre outras matérias, sobre as providências e condições para injeção de recursos na companhia, incluindo a possibilidade de aprovação de aumento de capital mediante a subscrição de novas ações", afirmou a Usiminas em comunicado ao mercado.

Informações publicadas pela imprensa nesta quarta-feira afirmam que o grupo japonês Nippon Steel vai propor na reunião de sexta-feira um aumento de capital de 1 bilhão de reais na Usiminas e que está disposto a bancar a operação sozinho se outros acionistas não quiserem participar.

Uma fonte com conhecimento direto do assunto afirmou à Reuters na véspera que a decisão sobre o aumento de capital na Usiminas pode acabar parando na esfera judicial diante de possibilidade de alegação de quebra de dever fiduciário pelos conselheiros da empresa se a operação não for aprovada.

O grupo Nippon Steel considera o aumento de capital, aliado a uma renegociação de dívidas da Usiminas com bancos credores, como único caminho para que a siderúrgica evite um pedido de recuperação judicial. Já Techint, que divide o controle da Usiminas com o grupo japonês, disse na terça-feira que considera como melhor alternativa para aliviar o endividamento da Usiminas e proteger os acionistas um "aporte limitado de capital", aliado a uso de recursos da unidade Mineração Usiminas, além da renegociação com os bancos.

A Usiminas tem vencimentos de 1,9 bilhão de reais este ano e caixa de cerca de 2 bilhões de reais. A empresa encerrou 2015 com geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) negativa em 2,318 bilhões de reais.

As ações da Usiminas dispararam nesta quarta-feira apesar da queda de 0,9 por cento do Ibovespa. O papel preferencial fechou em alta de cerca de 24 por cento, enquanto o ordinário avançou 12,4 por cento.

Em nota a clientes, analistas do BTG Pactual afirmaram que um eventual aumento de capital de 1 bilhão de reais na Usiminas não será suficiente, avaliando que a empresa precisaria de mais de 3 bilhões de reais. Porém, os analistas avaliaram que se um aumento de capital for aprovado isso dará tempo para a siderúrgica reestruturar sua viabilidade financeira.

(Por Alberto Alerigi Jr.)