BCE corta juros e amplia compra de ativos mais do que esperado

quinta-feira, 10 de março de 2016 10:41 BRT
 

Por Balazs Koranyi e Francesco Canepa

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) cortou suas três taxas de juros e expandiu seu programa de compra de ativos nesta quinta-feira, entregando um pacote maior do que o esperado para impulsionar a economia e impedir que a inflação extremamente baixa se enraíze.

O corte da taxa de depósito do BCE ainda mais fundo no território negativo, cobrando mais dos bancos para deixarem seu dinheiro guardado com o banco central, e o aumento das compras mensais de ativos para 80 bilhões de euros, sobre 60 bilhões de euros antes, superaram as expectativas de aumento para 70 bilhões de euros.

Surpreendendo os mercados, o banco também cortou sua taxa de refinanciamento para zero, sobre 0,05 por cento. O euro caía mais de 1 por cento contra o dólar.

O BCE tem pouco a mostrar em relação aos 700 bilhões de euros que gastou comprando títulos governamentais e outros ativos no último ano, conforme os preços de matérias-primas afetaram o impacto de seu programa de "quantitative easing".

Isso levanta o risco de as pessoas perderam a confiança no compromisso do banco com seu mandato. A inflação permanece abaixo da meta do BCE de quase 2 por cento há três anos e deve continuar assim por muitos outros.

O BCE cortou sua taxa de depósito para -0,4 por cento, de -0,3 por cento, em linha com as expectativas, mas também surpreendeu os mercados ao cortar suas duas outras taxas.

Assim como a taxa de refinanciamento, o que significa que os bancos podem agora tomar emprestado em seus leilões semanais sem custo, o banco cortou a taxa de empréstimo, usada pelos bancos para emprestar do BCE overnight, para 0,25 por cento, sobre 0,3 por cento.

 
Prédio do Banco Central Europeu em Frankfurt, na Alemanha. 19/01/2016  REUTERS/Kai Pfaffenbach