Petroleiras vendem produção futura com temor de que alta dos preços não dure

quinta-feira, 10 de março de 2016 13:19 BRT
 

CINGAPURA (Reuters) - Produtores de petróleo têm travado os ganhos recentes nos preços da commodity vendendo a produção de forma antecipada, o que potencialmente reduz as chances de uma recuperação maior das cotações, em um movimento que mostra desconfiança sobre a recuperação do mercado.

O primeiro contrato do petróleo Brent, referência global, subiu mais de 40 por cento ante mínimas de 12 anos atingidas mais cedo neste ano e agora é negociado acima de 40 dólares o barril.

Mas os produtores, que vinham esperando que a derrocada dos preços que já dura 20 meses chegasse ao fundo do poço, não têm total confiança de que uma recuperação está a caminho.

As petroleiras têm travado o ganho nos preços ao vender a produção futura como forma de proteção financeira, pressionando para baixo o preço desses contratos, disseram fontes na indústria e operadores que foram contraparte nos negócios.

O movimento protege esses produtores de outra potencial queda no mercado, como aconteceu na primeira metade de 2015, mas também pode evitar que eles se beneficiem de uma futura recuperação dos preços, disseram as fontes.

"Muitos produtores querem o dinheiro imediatamente devido à recente alta dos preços. Eles têm vendido fortemente para 2017/18 e além, e isso mostra que eles na verdade ainda não acreditam em preços spot mais altos", disse um operador de contratos futuros.

"Isso significa que mesmo os produtores realmente não estão esperando uma forte recuperação dos preços até meados de 2017 ou depois", ele disse.

(Por Henning Gloystein)