Bovespa fecha em alta de 1,86% com notícias sobre pedido de prisão preventiva de Lula

quinta-feira, 10 de março de 2016 19:30 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou em alta de quase 2 por cento nesta quinta-feira, tocando a máxima da sessão após notícias de que o Ministério Público de São Paulo teria pedido a prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em mais uma sessão em que perspectivas de mudança no cenário político deram o tom ao pregão.

O Ibovespa subiu 1,86 por cento, a 49.571 pontos. Na máxima, avançou 2,7 por cento, para 49.974 pontos.

O volume financeiro do pregão foi novamente forte, totalizando 11,8 bilhões de reais, acima da já elevada média do mês, de 10,759 bilhões de reais. O giro financeiro médio no ano é de 6,45 bilhões de reais.

Profissionais do mercado avaliam que a situação do governo está ficando cada vez mais frágil com notícias envolvendo o ex-presidente Lula e de potenciais novas delações premiadas, além de sinais de maior desgaste entre governo e o PMDB.

"Não é fácil prever como será o processo de agora em diante, mas o país caminha para uma mudança política a passos largos", disse um gestor em nota a clientes.

O Ibovespa chegou a cair 1,5 por cento no pior momento do pregão, mas reverteu o rumo e acelerou os ganhos após notícias de que o Ministério Público de São Paulo pediu a prisão preventiva de Lula junto com a denúncia apresentada à Justiça sobre o caso do tríplex no litoral de São Paulo.

No exterior, os principais índices acionários em Wall Street fecharam próximos da estabilidade, após sessão fraca, assim como as commodities.

A sexta-feira é o último pregão com horário ampliado na Bovespa. A partir da próxima segunda-feira, o pregão regular à vista volta ao horário das 10h às 17h.   Continuação...