Elétricas alemãs vão à Justiça contra perda com desligamento de usinas nucleares

sexta-feira, 11 de março de 2016 10:34 BRT
 

FRANKFURT/DUSSELDORF (Reuters) - Empresas de energia da Alemanha irão à mais alta corte do país na próxima semana para tentar evitar perdas de 19 bilhões de euros com o desligamento forçado de suas usinas nucleares, em um caso que tem colocado a indústria elétrica local contra o governo federal do país.

No maior embate jurídico envolvendo o setor de energia elétrica da Alemanha, a Corte Constitucional vai examinar os argumentos de E.ON, RWE e Vattenfall, que querem ser compensadas pela decisão de Berlim de desligar todas usinas nucleares até 2022.

Uma audiência está agendada para 15 e 16 de março na cidade de Karisruhe, cinco anos depois do desastre nuclear de Fukushima, no Japão, que levou a chanceler Angela Markel a surpreender a indústria com a decisão de acelerar o fim da energia nuclear no país.

A audiência discutirá a legalidade da decisão do governo de forçar o desligamento de usinas nucleares antes da data prevista sem compensar as empresas, que seguiram a lei estabelecida, mas entraram com a ação judicial.

Uma decisão ainda poderá levar vários meses, e as elétricas ainda poderão retirar o processo como parte de um acordo mais amplo com o governo sobre os 39 bilhões de euros em provisões exigidas para cobrir o custo de descomissionamento das usinas nucleares e armazenamento de seus resíduos.

(Por Christoph Steitz e Tom Käckenhoff; reportagem adicional de Markus Wacket em Berlim)