FMI dá aval a políticas monetárias não convencionais apesar de alertas de emergentes

segunda-feira, 14 de março de 2016 07:15 BRT
 

Por Rajesh Kumar Singh

NOVA DÉLHI (Reuters) - Políticas monetárias não convencionais de bancos centrais na Europa e no Japão receberam o aval do Fundo Monetário Internacional (FMI) no domingo, mesmo que autoridades de mercados emergentes tenham alertado que tais políticas elevem os riscos para a economia global.

Na conclusão de um evento de três dias do FMI em Nova Délhi, a diretora-gerente do fundo, Christine Lagarde, disse que os países devem continuar com políticas monetárias não convencionais se forem acompanhadas de reformas estruturais e inflação baixa.

"Política monetária é necessária, mas não pode ser a única saída", disse Lagarde.

Falando no mesmo evento no sábado, o presidente do banco central da Índia, Raghuram Rajan, crítico de tais políticas, disse que os custos dessas medidas estão aumentando enquanto os benefícios parecem estar diminuindo.

Ele pediu que os bancos centrais adotem um sistema para avaliar o impacto de suas ações, incluindo das políticas monetárias não convencionais agora em uso. [nL1N16K0G0]

O Banco Central Europeu (BCE) afrouxou recentemente ainda mais a política monetária ao cortar todas as suas principais taxas de juros, expandindo as compras de ativos e lançando um programa de empréstimos em que pode pagar aos bancos para emprestaram a empresas e famílias.

O banco central do Japão também levou a taxa de juros a território negativo pela primeira vez, enquanto o Federal Reserve, dos Estados Unidos, deve apertar a política monetária apenas gradualmente após anos de juros perto de zero e "quantitative easing".