Ministro chinês diz que subsídios de aplicativos de transporte são injustos

segunda-feira, 14 de março de 2016 15:18 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - O subsídio de tarifas e a complementação dos salários de motoristas por empresas de serviços de transportes urbanos como Didi Kuaidi e Uber Technologies são competitivamente injustos e não podem se sustentar no longo prazo, disse o ministro dos Transportes da China.

O ministro, Yang Chuantang, falou com repórteres nesta segunda-feira, durante sessão anual do parlamento chinês.

Empresas como Didi Kuaidi e Uber estão gastando bilhões de dólares em forte competição, usando dinheiro de investidores para financiar descontos para usuários e o salário dos motoristas cadastrados em seus aplicativos.

A grande popularidade de aplicativos como Didi Kuaidi e Uber na China tem, da mesma forma que em muitos países, representado problemas para os reguladores governamentais. Estas empresas operam parcialmente em áreas legais cinzentas, com motoristas de carros particulares não licenciados e subsídios se sobrepondo a empresas estatais e causando preocupações.

O Ministério dos Transportes da China disse em uma declaração nesta segunda-feira que "acelerará vigorosamente" a reforma da indústria de táxis, mas ofereceu poucos detalhes.

"Há uma necessidade grande de aprofundar a reforma da indústria de táxis e regular os serviços de táxi para colocá-los no caminho do desenvolvimento sadio e sustentável", afirmou o ministério no comunicado.