Dólar sobe quase 2,5% e se aproxima de R$3,75 com chance de Lula assumir ministério

terça-feira, 15 de março de 2016 13:37 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar subia quase 2,5 por cento se aproximava de 3,75 reais nesta terça-feira, com notícia de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria aceitado se tornar ministro, o que operadores entendem que poderia postergar ou reduzir as chances de eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A moeda norte-americana chegou a reduzir a alta durante a manhã, após o Supremo Tribunal Federal (STF) homologar delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), que incluiria acusações contra Lula e Dilma. Mas o movimento durou pouco e logo o dólar voltou a ganhar força.

Às 12:34, o dólar avançava 2,46 por cento, a 3,7424 reais na venda, depois de atingir 3,7475 reais na máxima da sessão. No pregão passado, a moeda norte-americana já havia saltado 1,71 por cento diante do cenário político.

"Se o governo der uma guinada populista agora, o país vai piorar cada vez mais rápido", disse o gerente de câmbio da corretora BGC Liquidez, Francisco Carvalho, acrescentando que a possível volta de Lula para o governo "reduz a chance de impeachment e prolonga a discussão. É a última cartada".

Lula viaja a Brasília nesta terça-feira para conversar com a presidente Dilma e fechar sua ida para um ministério, que poderia ser a Casa Civil ou a Secretaria de Governo. O ex-presidente estaria negociando, segundo noticiou a imprensa, mudanças na política econômica.

Lula ficaria encarregado das relações políticas, em um momento em que o PMDB, principal partido da base aliada, dá sinais de que pretende se afastar do governo, com alguns membros do partido apoiando o processo pelo impeachment de Dilma.

Segundo publicou no final desta manhã o colunista Lauro Jardim, do Globo, Lula já aceitou ser ministro apesar de que ainda teria uma conversa definitiva com a presidente sobre sua nomeação.

"Boa parte do mercado deve estar revendo para baixo as projeções sobre a chance de impeachment", disse o operador de uma corretora nacional.   Continuação...

 
Notas de dólar e real em casa de câmbio no Rio de Janeiro. 10/09/2015 REUTERS/Ricardo Moraes