Venda da STP permite crescimento mais agressivo para CCR, diz presidente

terça-feira, 15 de março de 2016 14:40 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A venda da fatia da CCR na STP, que opera o serviço de pagamento de pedágios Sem Parar, vai propiciar à companhia de concessões de infraestrutura melhorar o resultado neste ano e ampliar a capacidade de novos investimentos, disse o presidente da empresa, Renato Vale, nesta terça-feira.

A CCR anunciou mais cedo a venda de sua participação de 34 por cento do capital da STP por 1,4 bilhão de reais para empresa controlada pela norte-americana FleetCor Technologies.

"A desalavancagem que vamos ter com a venda desse ativo vai permitir sermos mais agressivos no nosso crescimento", disse o executivo da CCR em entrevista por telefone.

A empresa vê oportunidade nos mercados primário (licitação de novos projetos) e secundário (aquisição de concessões).

Em aeroportos, a CCR está mais focada nos terminais de Salvador (BA) e Fortaleza (CE), que fazem mais sentido para a empresa do que os aeroportos do sul, de Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS), por conta das perspectivas para voos internacionais, disse Vale. O governo pretende licitar os quatro terminais ainda neste ano.

"A menos que tenhamos uma surpresa negativa de resultados da empresa, se conseguirmos montar projeto e entendermos que é viável, vamos participar", disse.

Em rodovias, estão em avaliação tanto os projetos federais da segunda fase do Programa de Investimentos em Logística (PIL) quanto o programa de concessões estadual do governo de São Paulo.

"Já temos um investimento muito grande a realizar (neste ano) com os negócios atuais, de 5,8 bilhões de reais, mas perfeitamente equacionados com recursos próprios ou financiamento", afirmou Vale.

A maior quantidade de recursos em caixa com a venda da fatia da STP também contribuirá para que a empresa deixe de buscar o mercado para fazer rolagens da dívida e diminua seu índice de endividamento, de acordo com o executivo.   Continuação...