Câmara dos Deputados da Argentina aprova pacote da dívida

quarta-feira, 16 de março de 2016 14:36 BRT
 

Por Richard Lough

BUENOS AIRES (Reuters) - O presidente da Argentina, Mauricio Macri, conquistou nesta quarta-feira o apoio da Câmara dos Deputados para um acordo com credores, deixando a Argentina a um voto no Senado para encerrar uma disputa de 14 anos com seus credores.

Os deputados aprovaram por 165 a 86 o acordo após um debate televisionado de 20 horas.

Macri, que precisa encerrar a disputa para que o país possa acessar os mercados de crédito globais e atrair investidores, alertou que a Argentina encararia o retorno da hiperinflação ou cortes agressivos de custos se a Câmara tivesse derrubado o acordo.

Parlamentares leais à ex-presidente de esquerda Cristina Kirchner argumentaram que Macri está se vendendo aos investidores de Wall Street ao oferecer o pagamento de 70 a 75 centavos por dólar.

O ex-ministro da Economia Axel Kicillof criticou a proposta de financiar o acordo intermediado em Nova York com uma emissão planejada de 11,68 bilhões de dólares, dizendo que isso vai aumentar a dívida do governo.

"Não estamos aumentando a dívida. Estamos reduzindo-a", disse o parlamentar da coalizão de Macri Mario Negri minutos antes da votação, se referindo à baixa contábil da dívida acordada com os investidores.

Entre os acordos negociados em Nova York, está o pagamento em dinheiro de 4,65 bilhões de dólares aos principais credores, incluindo o bilionário Paul Singer da Elliott Management. O país tem até o dia 14 de abril para fazer o pagamento.

((Tradução Redação São Paulo 55 11 5644 7509)) REUTERS EN RBS