Aéreas indianas avaliam aviões menores em investida regional

sexta-feira, 18 de março de 2016 10:44 BRT
 

Por Sweta Singh

HYDERABAD, Índia (Reuters) - Companhias aéreas indianas estão em conversas com a brasileira Embraer, a ATR e a Bombardier para comprar aviões de menor porte que voem para cidades secundárias e terciárias do país, diante de uma investida do governo para conectar melhor a Índia por meio de serviços aéreos.

A aérea nacional Air India pretende adicionar 40 novas aeronaves à sua frota doméstica até o fim de 2017, das quais 13 serão aviões turboélice menores para conexões regionais, disse o presidente do conselho da empresa, Ashwani Lohani, à Reuters nesta sexta-feira.

Lohani disse que a aérea, que já faz leasing de oito turboélices ATR e três aeronaves da Bombardier CRJ-700, de 70 assentos, lançará uma "grande incursão" para voar para cidades menores neste ano.

A aérea de baixo custo SpiceJet também está conversando com fabricantes de aeronaves menores para ampliar sua frota de 14 turboélices Q400 da Bombardier, conforme expande o número de rotas de menor distância que voa, disse um porta-voz da empresa.

O governo da Índia anunciou planos em outubro de ampliar a conectividade da aviação regional ao forçar aéreas a voar para cidades de menor porte e reabrir muitas das 350 pistas sem uso do país como aeroportos básicos.

"A iniciativa do governo de desenvolver a conectividade regional encoraja aéreas a ir para esses mercados e cria uma oportunidade para nós", disse John Moore, diretor de vendas da ATR, uma das várias empresas que exibem seus mais recentes aviões na feira aérea desta semana na cidade indiana de Hyderabad.