BC fará 1º leilão de swaps reversos em 3 anos com oferta de até 20 mil contratos na 2ª-feira

sexta-feira, 18 de março de 2016 19:04 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco Central ofertará na segunda-feira até 20 mil swaps cambiais reversos, que equivalem a compra futura de até 1 bilhão de dólares, em operação que não era realizada há três anos.

Em comunicado, o BC informou que ofertará contratos com vencimento em 1º de julho de 2016 entre 12:10 e as 12:20 e o resultado da operação será divulgado a partir das 12:30.

A última vez que o BC realizou leilão de swap cambial reverso foi em 11 de março de 2013, quando o dólar era negociado pouco abaixo de 2 reais.

O BC havia realizado no fim da tarde desta sexta-feira pesquisa de demanda por swaps reversos entre operadores primários. Quatro operadores haviam informado a Reuters sobre a sondagem, confirmada pela assessoria de imprensa da autoridade monetária em seguida.

Após a pesquisa, o dólar futuro anulou as perdas vistas durante a sessão, quando chegou a recuar 1,5 por cento. O dólar à vista havia fechado com queda de 1,96 por cento, no menor nível em mais de seis meses.

A operação viria após a autoridade monetária anunciar que reduzirá o estoque de swaps tradicionais, que atualmente equivale a uma posição vendida de perto de 110 bilhões de dólares, citando o cenário externo mais favorável.

"(Com o leilão), ele mostra que quer acelerar a desmontagem da exposição cambial", disse o operador de um banco dealer primário, que solicitou anonimato.

Alguns analistas vinham criticando a atuação do BC no mercado de câmbio, já que o estoque de swaps cambiais tradicionais tende a gerar custos quando a moeda norte-americana sobe.

No ano passado, as operações custaram ao BC cerca de 100 bilhões de reais pelo critério de competência, segundo dados da própria autoridade monetária, contribuindo para elevar o déficit nominal e a dívida bruta do setor público. Na dívida líquida, o resultado negativo é mais do que compensado pela valorização das reservas internacionais -- que tem impacto apenas contábil.   Continuação...