CEO da Telecom Italia pediu demissão, dizem fontes

sábado, 19 de março de 2016 19:58 BRT
 

MILÃO (Reuters) - O presidente-executivo da Telecom Italia, Marco Patuano, apresentou a sua demissão, disseram neste sábado três pessoas próximas ao assunto, encerrando semanas de especulação sobre seu futuro conforme a maior acionista Vivendi aumentava sua influência na empresa.

Uma quarta fonte afirmou que a demissão de Patuano será formalizada nos próximos dois ou três dias.

Duas fontes afirmaram que o restante da diretoria permanecerá em seus cargos e que Giuseppe Recchi será o presidente-executivo interino enquanto um substituto para Patuano não for escolhido.

Já havia informações na imprensa no início deste mês sobre a saída de Patuano, após pressão pela restruturação da Telecom Italia, dona da TIM Participações, por parte do grupo de mídia francês Vivendi.

As relações entre Patuano e a Vivendi foram tensas desde o início, disse à Reuters uma fonte com conhecimento do assunto no início deste mês.

O grupo francês adquiriu 8 por cento da Telecom Italia em junho como parte do pagamento pela venda da empresa de banda larga GVT para a espanhola Telefónica, que era a maior acionista da Telecom Italia.

Desde então, a Vivendi triplicou sua participação para 24,9 por cento, assegurando quatro vagas no conselho da empresa e colocando Patuano sob pressão para cortar gastos em casa e decidir o que fazer com a TIM Participações.

Fontes têm dito à Reuters que a Vivendi quer a venda do negócio brasileiro, enquanto Patuano considera o a TIM um ativo estratégico.

A Vivendi não quis fazer comentários neste sábado.

Flavio Cattaneo, atualmente presidente-executivo da companhia ferroviária italiana NTV e membro do conselho da Telecom Italia, é o favorito para suceder Patuano, disseram outras fontes, que também pediram anonimato. Cattaneo não estava disponível para comentar.

(Reportagem de Agnieszka Flak, Paola Arosio e Silvia Aloisi)