Vale lamenta morte do ex-presidente Agnelli

domingo, 20 de março de 2016 11:45 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A mineradora Vale lamentou neste domingo a morte de seu ex-presidente Roger Agnelli, que morreu na queda de um monomotor no sábado na zona norte de São Paulo com outras seis pessoas.

"A Vale e seus empregados se solidarizam com a dor dos familiares e amigos do executivo que tanto contribuiu para o desenvolvimento da nossa empresa", afirmou a empresa em nota.

"Durante os dez anos em que Roger presidiu a Vale, a companhia se consolidou como a maior produtora global de minério de ferro e a segunda maior mineradora do mundo. Foi durante sua gestão que a Vale intensificou sua estratégia de expansão global, que levou a Vale a um novo patamar no mercado global de mineração", disse a empresa.

Na queda do avião, além de Agnelli, morreram sua esposa, seus dois filhos, o genro, a namorada do filho de Agnelli e o piloto.

O avião prefixo PRZRA decolou do Campo de Marte às 15:20, com destino ao Rio de Janeiro (aeroporto Santos Dumont), mas caiu três minutos depois.

Conhecido por sua disciplina e temperamento forte, Agnelli chegou ao cargo mais alto da Vale em julho de 2001, após 19 anos como executivo do Bradesco, um dos acionistas controladores da Vale.

Na gigante da mineração ele implementou uma cultura de meritocracia e transformou a Vale na maior exportadora brasileira na maior parte da última década.

Em 2012 ele fez uma parceria com o banco BTG Pactual para criar a B&A Mineração, uma companhia de investimentos focada no setor de mineração.

  Continuação...