CCEE diz que alinha com Aneel parcelamento de débitos de hidrelétricas

segunda-feira, 21 de março de 2016 11:44 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - As operadoras de hidrelétricas do Brasil deverão receber aval para parcelar em seis vezes dívidas que possuem junto à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) por terem gerado menos energia que previsto em seus contratos em 2015, devido à seca, informou a instituição em nota.

O governo federal negociou uma compensação parcial dessas perdas, já com efeito nos balanços do quarto trimestre de 2015 das elétricas. Mas, em troca do acordo, elas precisaram retirar ações judiciais com as quais se protegiam desde metade de 2015 de quitar passivos nas liquidações financeiras do mercado de curto prazo, realizadas pela CCEE.

"A respeito dos valores pendentes no mercado de curto prazo relacionados com a repactuação do risco hidrológico, a CCEE está alinhando junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) uma metodologia que permite o pagamento da dívida líquida... em seis parcelas, com atualização monetária e juros", disse a CCEE.

As liquidações financeiras do mercado de curto prazo, que acontecem mensalmente, promovem pagamentos e recebimentos entre as empresas de energia, de acordo com a diferença entre a eletricidade produzida ou consumida e os contratos de compra e venda.

As liquidações referentes a janeiro, fevereiro e março deste ano, no entanto, estão suspensas devido à discussão sobre como seriam quitados os débitos das hidrelétricas após estas perderem as liminares.

A consultoria Thymos Energia estimou à Reuters que há cerca de 3,8 bilhões de reais em pagamentos pendentes devido à liminares.

O presidente da Thymos, João Carlos Mello, disse que, desse valor, 1,3 bilhão é devido a empresas que operam termelétricas que vendem a energia no mercado de curto prazo.

"A Petrobras é a principal. Até tem algumas outras térmicas que venderam excedentes, mas de grosso modo isso é Petrobras, ela é a mais afetada", disse.

Procurada, a Petrobras informou que não iria comentar o assunto.   Continuação...