Vale faz melhorias no complexo portuário de Tubarão

terça-feira, 22 de março de 2016 15:20 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A mineradora Vale informou nesta terça-feira que concluiu nesta semana uma série de melhorias em seus terminais portuários localizados no Complexo de Tubarão, área operacional da empresa em Vitória (ES), com capacidade de embarque de 120 milhões de toneladas por ano de minério de ferro e pelotas.

As intervenções contemplam os píeres 1 e 2, por onde é feito o embarque de minério e pelotas, e no Terminal de Praia Mole (TPM), por onde é efetuado o desembarque de carvão.

"Iniciadas em 2015, as melhorias contemplam investimentos estruturais e revisões nos processos de manuseio dos graneis sólidos visando bloquear a fuga de material nas operações de carregamento e descarregamento das embarcações", disse a Vale.

Em janeiro, a Vale foi alvo de interdições pela Justiça Federal, que buscava obrigar a companhia a adotar medidas para evitar danos ao meio ambiente a partir de suas atividades em Tubarão. A decisão judicial visou exigir medidas eficazes para evitar a emissão de poeira de carvão no ar e pó de minério do mar.

Neste sentido, a Vale disse ainda que as correias transportadoras, que fazem o transporte do minério de ferro até os carregadores de navio, ganharam novos dispositivos de limpeza e de raspagem, bem como a implantação de um novo sistema de aspersão voltado a reduzir a suspensão de material particulado durante as operações.

As melhorias de processo contemplaram ainda o aumento na frequência de manutenção dos equipamentos e dos sistemas de limpeza, acrescentou a companhia.

Além das ações de curto prazo, há uma série de outras medidas de médio e longo prazo em curso, disse a empresa. Uma das mais relevantes, e que deverá ser concluída até fevereiro de 2017, envolve o fechamento das correias transportadoras que alimentam o píer 2, com o objetivo de reduzir a dispersão de material na atmosfera, e a sua consequente queda no mar.

O Complexo Portuário de Tubarão é formado por um terminal dedicado ao embarque de minério de ferro e pelotas com três berços; pelo Terminal de Praia Mole (TPM), por onde é feita a importação de carvão mineral; pelo Terminal de Produtos Diversos (TPD), no qual ocorre o embarque de grãos e o desembarque de fertilizantes; e pelo Terminal de Granéis Líquidos (TGL), operado pela Transpetro, especializado na movimentação de combustível.

Do volume total das exportações de grãos no Brasil, 8 por cento são feitas pelo Terminal de Produtos Diversos. O TPD é responsável também por 8 por cento da importação total de fertilizantes do país. No Terminal de Praia Mole são desembarcados 48 por cento do carvão consumido pelas siderúrgicas brasileiras.

(Por Roberto Samora; edição de Luciano Costa)