Odebrecht decide fazer "colaboração definitiva" com Lava Jato

terça-feira, 22 de março de 2016 23:22 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Odebrecht, maior empreiteira do país e um dos principais alvos da operação Lava Jato, anunciou na noite desta terça-feira que decidiu fazer "uma colaboração definitiva" com as investigações sobre um esquema bilionário de corrupção envolvendo a Petrobras, partidos políticos e grandes empreiteiras.

"As avaliações e reflexões levadas a efeito por nossos acionistas e executivos levaram a Odebrecht a decidir por uma colaboração definitiva com as investigações da Operação Lava Jato", afirmou a empresa em nota, no mesmo dia em que foi alvo principal de mais uma fase da operação Lava Jato.

A decisão da Odebrecht de colaborar com os procuradores da Lava Jato deve trazer mais revelações, já que a empresa é uma importante doadora para campanhas eleitorais, ajudando a financiar a campanha de políticos de vários partidos, além de ter uma série de contratos com o poder público.

"A empresa, que identificou a necessidade de implantar melhorias em suas práticas, vem mantendo contato com as autoridades com o objetivo de colaborar com as investigações, além da iniciativa de leniência já adotada em dezembro junto à Controladoria Geral da União", acrescenta a nota.

O ex-presidente da empresa, Marcelo Odebrecht, é um dos condenados pela operação Lava Jato e está preso desde meados do ano passado em Curitiba, onde o juiz federal Sérgio Moro concentra os processos ligados à operação.

O advogado Nabor Bulhões, que representa Marcelo Odebrecht e do grupo Odebrecht, disse à Reuters por telefone que o acordo de colaboração da empresa com o Ministério Público inclui uma "cláusula de abrangência de seus funcionários e executivos que queiram e que tenham com que colaborar com as investigações".

Ele afirmou que fazer acordos de delação premiada será uma decisão pessoal dos funcionários e executivos da companhia, entre eles Marcelo Odebrecht.

A Polícia Federal lançou nesta terça-feira a 26ª fase da operação, na qual a Odebrecht é acusada de realizar pagamento sistemático de propinas por meio de um setor especializado para obter contratos em várias áreas de atuação da empresa, além do esquema envolvendo a Petrobras.

As investigações apontaram que havia dentro da Odebrecht uma área profissionalmente organizada para pagamentos ilegais, chamada “setor de operações estruturadas", que incluía o pagamento de vantagens indevidas a servidores públicos, além da propina milionária paga pela empreiteira por contratos com a estatal de petróleo que é o foco principal da Lava Jato.   Continuação...

 
Marcelo Odebrecht espera para prestar depoimento em Curitiba 1/09/2015. REUTERS/Rodolfo Buhrer