Dólar sobe mais de 2%, a R$3,6768, com atuação do BC e cenário político

quarta-feira, 23 de março de 2016 17:28 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em alta superior a 2 por cento frente ao real nesta quarta-feira, após o Banco Central atuar para sustentar as cotações pelo terceiro dia consecutivo e em meio ao cenário político conturbado no Brasil.

O dólar avançou 2,11 por cento, a 3,6768 reais na venda, após atingir 3,6837 reais na máxima da sessão. No mês, contudo, a moeda norte-americana ainda acumula queda de 8,16 por cento.

"Parece que o BC está insistindo e o mercado está cedendo aos esforços dele", disse o economista da 4Cast Pedro Tuesta.

O BC vendeu 17 mil dos 20 mil swaps cambiais reversos, contratos equivalentes a compra futura de dólares, no leilão desta quarta-feira. Trata-se da terceira operação desse tipo em três dias, após a autoridade monetária deixar a ferramenta encostada por três anos.

O BC também reduziu pela segunda vez neste mês a oferta de swaps cambiais tradicionais --que atuam na ponta inversa dos swaps reversos, funcionando como venda futura de dólares-- para rolagem dos vencimentos em abril.

O BC ofertou apenas até 2,5 mil swaps tradicionais no leilão desta sessão, contra até 3,6 mil antes. Se mantiver esse ritmo até o penúltimo pregão do mês e vender sempre a oferta integral, rolará apenas pouco mais de 70 por cento do lote do mês que vem, equivalente a 10,092 bilhões de dólares.

Com a venda integral desta sessão, a autoridade monetária já rolou o equivalente a 6,648 bilhões de dólares, ou cerca de 66 por cento do lote total.

Alguns operadores haviam entendido a atuação do BC nas duas últimas sessões como uma ferramenta para sondar a demanda pelos instrumentos. As vendas parciais teriam sido um sinal de que a autoridade monetária não teria como objetivo colocar um piso para as cotações, mas apenas garantir que a queda da moeda norte-americana aconteça de forma suave.   Continuação...