Divórcio entre grupos Nippon e Techint na Usiminas pode ocorrer em um ano

quinta-feira, 24 de março de 2016 15:35 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

SÃO PAULO (Reuters) - O fim da conturbada relação entre os grupos Nippon Steel e Techint na Usiminas pode ocorrer dentro de um ano, com os sócios já discutindo a divisão das plantas da maior produtora de aços planos do país, afirmou uma fonte próxima do assunto.

Na separação da Usiminas, a Nippon ficaria com a usina de Ipatinga, que tem capacidade para cerca de 4 milhões de toneladas de aço por ano, e a Techint ficaria com a unidade de Cubatão, que possui capacidade semelhante mas teve a produção da liga totalmente paralisada no início deste ano.

"A Nippon já chegou à conclusão de que é preciso haver um divórcio", disse a fonte. "Isso tem que acontecer em um ano, não há mais clima de convívio ou confiança."

Segundo a fonte, a divisão da Usiminas seria uma solução em que ambos os grupos, que estão em conflito há meses em torno da gestão da companhia, poderiam sair como "ganhadores".

A Techint entrou no grupo de controle da siderúrgica brasileira no início de 2012 depois de ter acertado a compra da participação no final de 2011, aceitando pagar um preço que embutia um ágio de mais de 80 por cento aos valores da época.

Se ficar com a unidade em Cubatão, a Techint ainda terá acesso ao porto da unidade e também ao laminador concluído em 2012 e que recebeu investimentos de 2,5 bilhões de reais.

O grupo, que chegou a avaliar a construção de uma usina siderúrgica de 5,6 milhões de toneladas no Porto do Açu, no Rio de Janeiro, antes de investir na Usiminas, também manteria presença no Brasil, país considerado estratégico para sua atuação latino-americana.

Enquanto isso, a Nippon considera a Usiminas como estratégica para atender clientes na América do Sul, além de ter investido na companhia desde o início de sua criação, no fim da década de 1950, e se comprometido recentemente a injetar até 1 bilhão de reais até o final deste semestre em uma capitalização da empresa que atravessa sérias dificuldades financeiras.   Continuação...