Embraer vê demanda por 720 novos jatos de 70 a 130 assentos na América Latina em 20 anos

terça-feira, 29 de março de 2016 13:00 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A fabricante brasileira de aviões Embraer prevê que 720 novos jatos de 70 a 130 assentos sejam entregues na América Latina nos próximos 20 anos, ou 11 por cento da demanda mundial para o segmento no período, devido a uma maior integração regional e investimentos em infraestrutura.

A frota de aeronaves de 70 a 130 assentos em serviço atualmente na região é de 310 unidades. Até 2034, a frota crescerá para 740 unidades, disse a Embraer em comunicado. Além da expansão de frota, os novos aviões serão destinados à substituição de aeronaves antigas.

"Apesar das adversidades atuais, que decorrem principalmente da instabilidade política e econômica da região, as perspectivas de crescimento a médio e longo prazo permanecem positivas nos próximos anos", avaliou a companhia, acrescentando que espera uma recuperação econômica que resultará em integração regional mais profunda, aumentando a demanda por viagens aéreas.

Apenas no Brasil, a demanda por voos recuou 3 por cento em fevereiro ante o mesmo mês do ano passado, sétima baixa consecutiva, de acordo com dados da Abear, entidade que representa as companhias aéreas no país.

Contudo, a Embraer citou que o crescimento da procura por transporte aéreo na América Latina tem sido de cerca de 7 por cento ao ano, acima da média mundial de cerca de 5 por cento.

Outros catalisadores da demanda por aviões devem ser o crescimento da classe média da região, novos investimentos em infraestrutura de aviação e a necessidade de serviço aéreo eficiente para novos mercados de baixa e média densidade.

A Embraer é líder global no segmento de jatos de até 130 assentos na América Latina, com fatia de mercado de 70 por cento.

No fim de fevereiro, a empresa apresentou oficialmente a primeira aeronave da segunda geração da família de aviões comerciais E-Jets, o E190-E2, que entrará em serviço no primeiro semestre de 2018. O E190-E2 tem capacidade para até 106 lugares e possui maior eficiência de consumo de combustível.

(Por Priscila Jordão)

 
Jato E-175 na fábrica da Embraer em São José dos Campos (SP). 16/10/2014. REUTERS/Roosevelt Cassio