Conselho da Petrobras terá pouca renovação em 2016; ex-diretor da Vale sairá

terça-feira, 29 de março de 2016 17:13 BRT
 

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As poucas mudanças pelas quais passará o atual Conselho de Administração da Petrobras a partir de abril incluem a saída do último conselheiro que já teve relação com a Vale , encerrando uma fase em que executivos e nomes ligados à mineradora tiveram grande influência na petroleira.

O grupo, chamado "turminha da Vale" pelo presidente da petroleira, Aldemir Bendine, ficou marcado por discordar ou expor discordâncias em relação a diretrizes da diretoria executiva da Petrobras ao longo do ano passado.

A estatal Petrobras, em nota no final da noite de segunda-feira, apontou o advogado Durval José Soledade Santos como o indicado pelo sócio majoritário, o único não integrante do atual colegiado, que deverá substituir Roberto Castello Branco, ex-diretor da Vale, o último remanescente da "turminha".

A lista de sete nomes indicados pelo governo federal aponta ainda para a manutenção do economista e contador Nelson Carvalho no comando do colegiado.

Carvalho foi aprovado como presidente do Conselho da petroleira em dezembro, após ter atuado como interino no cargo no ano passado durante a licença de Murilo Ferreira, presidente da Vale, que renunciou posteriormente após notícias de desentendimentos com Bendine e depois do trágico rompimento da barragem da Samarco, joint venture da Vale e da BHP Billiton, que exigiu foco total do principal executivo da mineradora.

A formação original do Conselho da Petrobras, em abril de 2015, contava também com os conselheiros suplentes Dan Conrado, membro do conselheiro da Vale, e Clovis Torres, consultor jurídico também da Vale, que renunciaram no ano passado.

A saída de Castello Branco deixa o colegiado sem representantes com ampla experiência financeira e em gestão empresarial. Com as novas indicações do governo federal, predominarão no colegiado advogados, contadores e economistas.

A eleição ocorrerá na Assembleia Geral Ordinária, prevista para 28 de abril, onde serão escolhidos os dez membros do Conselho, incluindo os representantes dos trabalhadores, dos acionistas ordinaristas e dos acionistas preferencialistas.   Continuação...