Cemig focará negócios principais e avalia desinvestimento para reduzir dívida

quarta-feira, 30 de março de 2016 13:26 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A elétrica Cemig vai passar a focar sua atuação nos negócios que considera prioritários e avaliará desinvestimentos de ativos, principalmente os que não fazem parte do "core business" e aqueles nos quais a empresa não possui capacidade de gestão, afirmaram executivos da companhia em teleconferência com investidores nesta quarta-feira.

Os principais objetivos da nova estratégia, que está em fase de finalização, são a redução do endividamento, neste momento, e a melhoria do retorno dos investimentos no futuro.

Atualmente, a Cemig atua em geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia, além de outros negócios como distribuição de gás natural, por meio da subsidiária Gasmig, telecomunicações (Cemig Telecom) e projetos de eficiência energética, com a controlada Efficientia.

"Isso vai gerar uma eficiência futura de resultados... a nova estratégia busca concentrar nossos esforços nas atividades núcleo... que sempre viabilizaram um grande resultado... realizando desinvestimentos em atividades que não são as principais... é importante para a desalavancagem da companhia", disse o presidente da Cemig, Mauro Borges.

A declaração foi dada após a companhia reportar queda de 73 por cento no lucro líquido do quarto trimestre de 2015, ante o mesmo período do ano anterior, em meio a um cenário de queda na demanda por energia.

Borges não especificou quais ativos poderiam ser vendidos.

O diretor de Finanças da Cemig, Fabiano Maia Pereira, por sua vez, disse que o plano de revisão do portfólio será levado para avaliação do Conselho de Administração da empresa.

"Buscaremos estar em ativos e empresas em que nós tenhamos capacidade de gestão. Essa á a principal diretriz que estamos levando para o Conselho como proposta... e a partir dos ativos que não tenham essas características, vamos trabalhar para fazer o desinvestimento necessário", disse.

A dívida líquida da Cemig fechou 2015 em 11,7 bilhões de reais, dos quais 6,3 bilhões teriam vencimento em 2016.   Continuação...