BNDES prevê mais 3 fabricantes de painéis solares no Brasil até o final do ano

quarta-feira, 30 de março de 2016 16:45 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil deverá atrair até o final deste ano mais três empresas interessadas em montar localmente painéis para a geração de energia solar fotovoltaica, com dois investidores chineses e uma grande empresa brasileira, que iria importar a tecnologia, afirmaram à Reuters dois gerentes da instituição financeira.

O país realizou os dois primeiros leilões para contratar usinas solares, em 2014 e 2015, e os geradores que utilizarem placas montadas no Brasil terão acesso a financiamentos do banco de fomento, com juros bastante abaixo dos praticados no mercado.

Essa fonte de geração dá seus primeiros passos no Brasil, mas as características climáticas favorecem a energia solar no país.

"São players internacionais muito relevantes... todas essas são empresas de grande porte, o que traz uma segurança para o setor de que não são aventureiros, vão trazer capacidade para atender seja projetos de leilão, seja de geração distribuída", disse a gerente do departamento de energias alternativas do BNDES, Cláudia Noel.

Somente esses três fornecedores somariam 1 gigawatt em capacidade de produção anual, que é aproximadamente o que foi contratado em cada um dos leilões de energia solar já realizados.

Segundo Cláudia, que não quis abrir o nome das empresas porque o assunto ainda não é público, a expectativa do banco é que as fábricas estejam em operação no segundo semestre do ano.

"Houve um atraso da parte deles, não saberia dizer qual o motivo, que postergou para o segundo semestre. Mas acho que não é nada de mais, já estão construindo as fábricas, não existe uma incerteza por parte deles", disse Cláudia.

Segundo ela, esses três investidores já assinaram termos de compromisso com o banco.   Continuação...