Dólar sobe e se aproxima de R$3,60, de olho em política e BC

segunda-feira, 4 de abril de 2016 12:21 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar avançava em direção a 3,60 reais nesta segunda-feira, após fechar no menor nível em sete meses na sessão anterior, com investidores preferindo estratégias mais defensivas em meio ao noticiário político intenso no Brasil e à atuação do Banco Central.

Às 12:20, o dólar avançava 0,77 por cento, a 3,5900 reais na venda, após recuar a 3,5627 reais na sexta-feira.

A moeda norte-americana subiu mais de 1 por cento e atingiu 3,5985 reais na máxima desta sessão. O dólar futuro avançava cerca de 1 por cento.

"A crise política é o principal fator afetando os mercados locais. As notícias não param de chegar de Brasília", disse o superintendente regional de câmbio da corretora SLW, João Paulo de Gracia Corrêa.

Nesta segunda-feira o governo apresentará a defesa da presidente Dilma Rousseff à comissão da Câmara dos Deputados que analisa o pedido de impeachment, num momento em que o Planalto busca angariar votos de deputados para impedir que o processo de impedimento avance.

A percepção de que esses esforços podem dar resultados ganhou um pouco de força nos últimos dias após o rompimento do PMDB com o governo expor disputas internas no maior partido do Brasil.

Muitos investidores enxergam a possibilidade de impeachment de Dilma como um primeiro passo para a recuperação da confiança no país. Alguns ponderam, porém, que a instabilidade política pode manter a pressão sobre a economia.

Outro fator que vem concentrando as atenções do mercado é a estratégia de intervenções cambiais do BC.

Após a forte queda de sexta-feira passada, o BC anunciou para esta sessão leilão de até 14.100 swaps reversos, contratos equivalentes a compra futura de dólares. A autoridade monetária manteve a estratégia de promover vendas parciais, colocando apenas 8.140 contratos.   Continuação...