Votorantim Industrial tem lucro menor em 2015, mas geração de caixa segue forte

terça-feira, 5 de abril de 2016 12:06 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - - A Votorantim Industrial teve queda de 77 por cento no lucro líquido em 2015, devido à reversão no ano passado de impostos diferidos relacionados à operação de níquel e a um ganho extraordinário em 2014 com venda de energia.

O grupo --cujo balanço consolida resultados de operações em cimentos, siderurgia, metais e energia, entre outros-- teve lucro anual de 382 milhões de reais, sobre uma receita líquida recorde de 31,5 bilhões de reais, alta de 11 por cento.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) foi de quase 7 bilhões de reais no ano passado, queda de 2 por cento.

Segundo a companhia, o bom desempenho das operações externas, dividendos extraordinários recebidos da produtora de celulose Fibria, que tem a Votorantim no bloco de controle, e a venda de terras no quarto trimestre ofuscaram o impacto da debilidade da economia brasileira no Ebitda.

Como resultado do aumento de dois dígitos da receita e da leve retração da geração de caixa, a margem Ebitda do grupo teve redução de 3 pontos percentuais em 2015, para 22,2 por cento.

A alavancagem medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda estava em 2,78 vezes em dezembro, acima do índice de 2,31 um ano antes, mas menor que os 3,23 de setembro de 2015.

A Votorantim terminou o ano com dívida bruta de 30,5 bilhões de reais e com caixa e disponibilidades de 10,6 bilhões de reais, além de possuir duas linhas de crédito rotativo até 2020 que totalizam 1,2 bilhão de dólares. O prazo médio de vencimento da dívida é de 7,4 anos.

"Os recursos em caixa e equivalentes financeiros... são suficientes para cobrir todas as obrigações nos próximos 42 meses", disse a Votorantim.

  Continuação...