6 de Abril de 2016 / às 18:37 / em um ano

Fed sinaliza cautela com alta de juros e mostra preocupação com crescimento global em ata

Prédio do Federal Reserve em Washington, nos EUA 1/09/2015 REUTERS/Kevin Lamarque

WASHINGTON (Reuters) - Parece improvável que o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, aumente a taxa de juros antes de junho, em meio a preocupações sobre a habilidade limitada do Fed para fazer frente à desaceleração econômica global, sugeriu a ata da reunião de política monetária de março.

O documento divulgado nesta quarta-feira mostrou que autoridades do Fed debateram se deveriam aumentar a taxa de juros em abril, mas vários deles argumentaram que os desafios ao crescimento provavelmente vão persistir, com muitos afirmando que eles deveriam ser cautelosos em relação à alta de juros.

“De maneira geral, os participantes entendem que os desenvolvimentos econômicos e financeiros continuam apresentando riscos”, trouxe o documento.

Autoridades sinalizaram ao fim da reunião de março que esperavam aumentar os juros duas vezes em 2016, mas o momento dessas elevações ainda parece estar indefinido.

Segundo a ata, muitos membros do Fed disseram estar preocupados com o limitado poder de fogo para responder a choques externos, porque a taxa de juros já está muito perto de zero.

“Muitos participantes indicaram que os riscos globais acentuados e a habilidade assimétrica da política monetária em responder a eles justificavam cautela”, segundo a ata.

Investidores têm tido dúvidas se o Fed vai aumentar os juros este ano e a ata fez pouco para mudar as apostas sobre o rumo da política monetária.

O mercado de juros futuros indicava que os investidores viam chance um pouco acima de 50 por cento de uma alta em dezembro e praticamente nenhuma chance de um aumento na reunião de 26 e 27 de abril, segundo a CME Group.

“A resistência a uma ação no curto prazo ainda está bastante arraigada”, disse o economista da Pantheon Macroeconomics Ian Shepherdson.

Segundo a ata, diversos membros do Fed avaliaram que os riscos elevados à economia dos EUA significavam que aumentar os juros em abril “sinalizaria um sentimento de urgência que eles não consideraram apropriado”.

Uma pequena minoria indicou que uma alta de juros seria justificada quando o Fed se reunir no fim de abril. A reunião seguinte acontece nos dias 14 e 15 de junho.

As autoridades do Fed haviam previamente sinalizado em dezembro que quatro aumentos de juros seriam prováveis em 2016 e a ata da reunião de março destacou o consenso dentro do Fed em torno de uma perspectiva cautelosa para a economia.

AVANÇANDO COM CAUTELA

A chair do Fed, Janet Yellen, disse em 29 de março que o banco central dos EUA deveria “proceder com cautela” ao aumentar os juros, visão que tem sido recentemente abraçada por outros membros, incluindo o presidente do Fed de St. Louis, James Bullard.

O Fed manteve a taxa de juros entre 0,25 e 0,5 por cento nas reuniões de março e janeiro, após a alta de dezembro, que interrompeu sete anos de juros quase zerados.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below