Dólar reduz queda frente ao real com ata do Fomc, mas segue atento à política e BC

quarta-feira, 6 de abril de 2016 15:50 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar reduziu um pouco as perdas frente ao real nesta quarta-feira após a ata do Federal Reserve mostrar que membros do banco central norte-americano discutiram a possibilidade de aumentar os juros em abril, embora tenha predominado a cautela com a fraqueza econômica global.

O efeito foi limitado pelo tom cauteloso adotado no documento e pela decisão do Banco Central brasileiro de não promover leilão de swap cambial reverso, equivalente a compra futura de dólares. O cenário político brasileiro também imprimia cautela ao mercado, em meio a apostas menores no impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Às 15:48, o dólar recuava 0,68 por cento, a 3,6558 reais na venda, após atingir 3,6522 reais na mínima da sessão. A moeda norte-americana acumulou alta de 3,32 por cento nas duas sessões anteriores.

"A ata é marginalmente mais 'hawkish' do que os comunicados anteriores mas, em alguma medida, isso já havia sido prefigurado por algumas autoridades do Fed", disse o economista da 4Cast Pedro Tuesta.

Segundo o documento, predominou na reunião de março do Fed a cautela com a desaceleração econômica global, embora os membros do banco central tenham debatido a possibilidade de elevar os juros em abril, quando o Fed reúne-se novamente para tratar de política monetária.

Após a divulgação do documento, o mercado de juros futuros nos Estados Unidos passou a mostrar chances um pouco maiores de aumentos de juros antes de dezembro, precificação que predominava antes da ata.

Ainda assim, o dólar continuou em queda e próximo a 3,65 reais, após o BC deixar de anunciar leilão de swap reverso, depois de fazer diversas operações desse tipo nas últimas semanas, ajudando a tirar o dólar das mínimas em sete meses, na casa de 3,56 reais.

O BC manteve para esta sessão o leilão de até 5,5 mil swaps tradicionais, equivalentes a venda futura de dólares, para rolagem dos contratos que vencem no mês que vem. Com a venda integral, rolou ao todo o equivalente a 1,072 bilhão de dólares, ou cerca de 10 por cento do lote do mês que vem, que corresponde a 10,385 bilhões de dólares.   Continuação...