Preço médio do aluguel no Brasil tem queda real de 15,3% no 1º trimestre, diz VivaReal

quarta-feira, 6 de abril de 2016 18:43 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O preço médio do metro quadrado para aluguel no Brasil nos três primeiros meses do ano recuou 15,3 por cento em termos reais ante o mesmo período do ano passado e atingiu o menor valor desde o primeiro trimestre de 2013, informou nesta quarta-feira o portal imobiliário VivaReal.

O valor médio para locação caiu 5,5 por cento em termos nominais e fechou março a 25 reais, de acordo com o índice DMI-VivaReal. A amostra contempla 30 cidades e considerou mais de 4 milhões de imóveis usados disponíveis para compra ou aluguel.

Entre as 30 cidades pesquisadas, os maiores recuos nominais no valor do aluguel foram registrados no Rio de Janeiro (-21,3 por cento), Brasília (-8,0 por cento), Recife (-7,5 por cento), Belo Horizonte (-7,0 por cento) e Vitória (-5,4 por cento).

A instabilidade do cenário econômico e as restrições ao crédito imobiliário afetaram o equilíbrio da oferta e demanda de imóveis, segundo a VivaReal. E devido às dificuldades de comercialização, muitos proprietários preferiram apostar na locação dos imóveis.

"Isso aumentou a oferta e deu margem para o consumidor negociar, o que contribui para a queda no valor médio do aluguel”, disse em nota o executivo-chefe de operações do VivaReal, Lucas Vargas.

No sentido oposto, Fortaleza apresentou a maior valorização (+7,62 por cento) nominal do valor médio do metro quadrado para aluguel. Também tiveram alta Joinville (+7,33 por cento), Florianópolis (+5,88 por cento), Porto Alegre (+5,53 por cento) e Santos (+3,36 por cento).

No caso da venda, o valor médio do metro quadrado teve valorização nominal de 0,76 por cento, quando comparado com o mesmo período de 2015. Levando em consideração o IPCA de 9,5 por cento no período, a queda real foi de 8 por cento.

Fortaleza (+ 11,36 por cento) teve a maior valorização nominal no preço médio do metro quadrado para venda em 12 meses, seguida de Porto Alegre (+10,0 por cento), Goiânia (+7,57 por cento), Vitória (+7,31 por cento ) e Vila Velha (+6,51 por cento).

Rio de Janeiro (-2,0 por cento ), Brasília (-1,8 por cento) e Niterói (-2,0 por cento) tiveram os principais recuos.   Continuação...