Inadimplência mais alta vai impactar resultado de bancos em 2016, diz BC

quinta-feira, 7 de abril de 2016 13:20 BRT
 

Por Marcela Ayres

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central avalia que a inadimplência mais alta neste ano trará consequências para o balanço dos bancos, com aumento das provisões e achatamento de margens, cenário que deverá afetar especialmente as instituições públicas, segundo Relatório de Estabilidade Financeira divulgado nesta quinta-feira.

No documento, o BC ressaltou que as instituições já elevaram as provisões para os créditos duvidosos no segundo semestre de 2015, preparando-se para cenário adverso, com perspectiva de baixo crescimento do crédito e de aumento dos atrasos nos pagamentos.

"A inadimplência mais elevada implicará maiores despesas com provisões, acarretando queda das margens líquidas de intermediação e crédito, pressionando a rentabilidade do sistema, especialmente nos bancos públicos, por carregarem em seus portfólios maior proporção de linhas de crédito de menor margem", disse o documento.

Em coletiva de imprensa, o diretor de Fiscalização do BC, Anthero Meirelles, disse a taxa de inadimplência continuará subindo, mas não de forma expressiva.

"A gente espera, evidentemente, que a inadimplência continue crescendo, mas não esperamos nada explosivo, nenhuma ruptura, disse. "O que a gente vê hoje no mercado de crédito é que não há apetite dos bancos, nem públicos, nem privados, para ampliar crédito. Não há demanda também", completou.

Segundo o BC, o cenário de derrocada da economia, com juros elevados e a deterioração no mercado de trabalho e no nível de confiança de empresas e famílias, começou a se refletir "de maneira mais pronunciada" nos indicadores de crédito no segundo semestre do ano passado.

A resposta das instituições financeiras ao cenário mais difícil se deu pelo aperto na concessão de novos empréstimos no período, sendo que os bancos privados aumentaram "de modo significativo" a cobertura de provisões para a inadimplência.

Para a autoridade monetária, a perspectiva de baixo crescimento da concessão de crédito vai continuar reduzindo a participação do crédito nos resultados dos bancos. Com isso, as receitas de serviços, seguros e cartões devem ganhar importância do lucro líquido das instituições.   Continuação...

 
Sede do Banco Central, em Brasília. 23/09/2015   REUTERS/Ueslei Marcelino