Projeções para Selic e inflação no ano que vem caem no Focus

segunda-feira, 11 de abril de 2016 10:54 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco Central deve encontrar espaço para reduzir ainda mais a taxa básica de juros em 2017 em meio à expectativa de inflação mais fraca neste e no próximo ano, afetada pela contínua deterioração das perspectivas para a atividade econômica.

A pesquisa Focus do Banco Central divulgada nesta segunda-feira mostrou que a projeção para a inflação oficial em 2017 recuou a 5,95 por cento por cento, após estacionar em 6 por cento por oito semanas seguidas.

A estimativa para o IPCA neste ano também caiu pela quinta semana consecutiva, a 7,14 por cento, 0,14 ponto percentual a menos do que no levantamento anterior. Ainda assim, o dado continua acima do teto da meta do governo para 2016, de 4,5 por cento com tolerância de 2 pontos percentuais.

Em março, a alta do IPCA desacelerou a 0,43 por cento, chegando a 9,39 por cento no acumulado em 12 meses, primeira vez que ficou no patamar de 9 por cento desde outubro.

Nesse contexto, os economistas consultados no Focus também passaram a enxergar um corte maior na Selic ao longo do ano que vem, com a taxa básica de juros encerrando 2017 a 12,25 por cento. No levantamento anterior, a taxa estava estimada em 12,50 por cento.

Embora o BC venha reiterando que não trabalha com a possibilidade de cortar a taxa básica de juros apesar da forte retração econômica, o Focus mostrou que os economistas mantiveram a estimativa de que a Selic encerrará este ano a 13,75 por cento, ante os atuais 14,25 por cento.

Sobre a economia, a projeção para este ano seguiu piorando, mas a projeção para 2017 ficou estável. A retração do Produto Interno Bruto em 2016 está estimada agora em 3,77 por cento, contra queda de 3,73 por cento prevista antes. Para 2017 é esperada uma expansão de apenas 0,30 por cento.

(Por Bruno Federowski)

 
Sede do Banco Central, em Brasília. 23/09/2015   REUTERS/Ueslei Marcelino