Bovespa fecha em queda pressionada por NY e exportadoras, com política no radar

segunda-feira, 11 de abril de 2016 20:15 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em leve queda nesta segunda-feira, em pregão volátil diante de desdobramentos no cenário político, particularmente o desfecho do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Apostas crescentes na saída de Dilma e a alta de commodities levaram o Ibovespa acima dos 51 mil pontos pela manhã, mas a fraqueza em Wall Street e a queda de ações de exportadoras na esteira do forte recuo do dólar minaram os ganhos.

O Ibovespa caiu 0,25 por cento, a 50.165 pontos. Na máxima, o índice de referência do mercado acionário brasileiro ganhou 1,6 por cento. O volume financeiro do pregão totalizou 6,87 bilhões de reais.

Em dólar, contudo, o Ibovespa avançou mais de 2 por cento.

Na visão da equipe de economia da SulAmérica Investimentos, a volatilidade deve ser a tônica da semana, com a crise política podendo caminhar para momentos decisivos.

O pregão encerrou antes da votação na comissão especial do impeachment na Câmara dos Deputados do parecer do relator deputado Jovair Arantes (PTB-GO), que defende a admissibilidade do processo.

A previsão era de que o parecer seria aprovado, com as atenções voltadas principalmente para a votação no plenário da Câmara dos Deputados, prevista para começar até o fim da semana.

Ainda repercutiu à tarde um áudio do vice-presidente da República, Michel Temer, enviado a um grupo de parlamentares do PMDB, no qual fala como se o impeachment contra a presidente Dilma tivesse sido aprovado pela Câmara.   Continuação...