FMI corta projeção de crescimento global e alerta para risco de estagnação global

terça-feira, 12 de abril de 2016 11:43 BRT
 

Por David Lawder

WASHINGTON (Reuters) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) cortou sua projeção de crescimento global pela quarta vez no último ano nesta terça-feira, citando a desaceleração da China, os preços persistentemente baixos do petróleo e a fraqueza crônica das economias avançadas.

O Fundo, cuja reunião de primavera junto com o Banco Mundial será realizada em Washington esta semana, prevê que a economia global vai crescer 3,2 por cento em 2016, comparado com a previsão anterior de janeiro de 3,4 por cento.

No mais recente relatório "Perspectiva Econômica Global", o FMI alertou para o risco de estagnação generalizada, e disse que o crescimento mais fraco pode deixar a economia global mais vulnerável a choques, como depreciações cambiais ou agravamento de conflitos geopolíticos.

O Fundo pediu às autoridades globais que comparecerão à reunião do FMI e do Banco Mundial que tomem ações coordenadas para impulsionar a demanda com reformas econômicas estruturais, estímulos fiscais onde for possível e política monetária expansionista.

"Crescimento menor significa menos espaço para erro", disse o economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld, em comunicado. "Crescimento persistentemente baixo tem efeitos duradouros que... reduzem a produção potencial e, com isso, a demanda e o investimento."

O FMI cortou pela metade a projeção de crescimento do Japão para 0,5 por cento em 2016, e disse que a economia brasileira vai encolher 3,8 por cento este ano, contra projeção anterior de contração de 3,5 por cento, com o país lutando contra a pior recessão em décadas.

Os Estados Unidos, um dos pontos relativamente brilhantes da economia global, também viu sua perspectiva de crescimento em 2016 ser cortada, para 2,4 por cento de 2,6 por cento. O FMI disse esperar um peso maior sobre as exportações norte-americanas da força do dólar, enquanto os preços baixos do petróleo manterão fracos os investimentos em energia.

O Fundo elevou ligeiramente a projeção de crescimento da China para 6,5 por cento este ano e 6,2 por cento em 2017, em parte graças aos já anunciados estímulos econômicos. Mas o FMI disse que ainda espera que o crescimento chinês continue enfraquecendo enquanto transita para uma economia guiada pelo consumo.

As novas projeções dão sequência às reduções anteriores de julho, outubro e janeiro.

Obstfeld disse que o crescimento global pode enfraquecer facilmente em relação às últimas previsões do FMI, o que pode reforçar a espiral deflacionária de crescimento baixo que compromete a produção potencial futura. Ele disse que esse fenômeno é conhecido em alguns círculos econômicos como "estagnação secular."

 
Economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld.    06/10/2015        REUTERS/Mariana Bazo/Files