FMI diz que dívida grega é "altamente insustentável" e que alívio é "essencial"

terça-feira, 12 de abril de 2016 15:16 BRT
 

Por Renee Maltezou

ATENAS (Reuters) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) quer que os parceiros europeus da Grécia concedam um alívio substancial à dívida do país, a qual vê como "altamente insustentável" de acordo com esboço de memorando do Fundo visto pela Reuters.

Nesta terça-feira, a Grécia e inspetores dos credores da UE e do FMI suspenderam negociações sobre uma crucial revisão do resgate, devido principalmente a uma disputa entre os credores sobre um déficit fiscal projetado até 2018 e sobre a resistência de Atenas a reformas impopulares.

Eles retomarão a revisão após as reuniões de primavera do FMI esta semana em Washington, onde os credores também devem discutir as reformas e a dívidas da Grécia.

"Apesar de generosos financiamentos preferenciais oficiais e planos de reformas...a projeção para a dinâmica da dívida é que permaneça altamente insustentável", apontou o esboço do FMI.

"Para restaurar a sustentabilidade da dívida, além de nossos esforços de reforma, ações decisivas de nossos parceiros europeus para conceder mais alívio da dívida oficial serão essenciais."

As instituições da UE projetam que a Grécia terá um déficit fiscal equivalente a 3 por cento da produção econômica em 2018, enquanto o FMI prevê déficit de 4,5 por cento.

As instituições da UE também acreditam que Atenas pode alcançar um superávit primário de 3,5 por cento do PIB até 2018, como projetado em seu mais recente resgate financeiro.

Mas o Memorando de Políticas Financeiras e Econômicas do FMI projeta um déficit primário de 0,5 por cento este ano, superávit de 0,25 por cento em 2017 e superávit primário de 1,5 por cento em 2018.

Ele diz que esses números refletem a fadiga das reformas após cinco anos de ajustes e pressões sociais na Grécia devido ao desemprego alto, que atingiu 24,4 por cento em janeiro.

O esboço prevê uma taxa média de crescimento econômico de 1,25 por cento para o longo prazo.