Eztec planeja mais três lançamentos de imóveis em São Paulo no 1º semestre

terça-feira, 12 de abril de 2016 18:40 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A incorporadora Eztec prevê lançar mais três empreendimentos no primeiro semestre na cidade de São Paulo, embora ainda veja o cenário para o setor imobiliário de forma cautelosa e mantenha o foco na gestão de estoques e distratos.

A decisão para colocar à venda novos empreendimentos ocorreu após o lançamento de empreendimento de alto padrão no bairro de Moema, em parceira com a Cyrela, em março. Em três semanas, 30 por cento dos apartamentos foram vendidos. Antes disso, a empresa havia ficado 10 meses sem disponibilizar novos produtos no mercado.

Do total de vendas já realizadas neste empreendimento, que tem apartamentos de 200 metros quadrados com cada metro custando 15 mil reais, cerca de 40 por cento foram à vista, acima do patamar tradicional de 5 por cento, segundo o diretor financeiro e de relações com investidores da Eztec, Emílio Fugazza.

Patamares semelhantes ocorreram em outros momentos da economia brasileira, afirmou o executivo, mencionando os anos de 2002 e 2003, quando o mercado mostrava incertezas sobre a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva.

De acordo com Fugazza, a Eztec fez este lançamento para testar o mercado de alto padrão no período em que o comprador tem mais dificuldade de entender o destino da política econômica do país e aproveita mais interesse das construtoras em oferecer descontos. Com o resultado alcançado até o momento, a companhia planeja lançar um novo edifício de alto padrão no Brooklin dentro de 40 dias.

Há, ainda, mais dois empreendimentos previstos para os próximos meses, sendo um deles também no Brooklin e o outro na Vila Mascote, voltados para a média-alta renda.

A Eztec tem mais projetos que poderão ser lançados ao longo de 2016, localizados nos bairros de Moema, Butantã e Aclimação, mas isso acontecerá conforme a companhia sentir confiança no mercado para isso.

"Se a gente lançar o próximo (empreendimento) e não vender positivamente, não vender um bom volume, a gente segue mais desincentivado para seguir lançando... Por enquanto, o planejamento é para quatro projetos nos próximos meses (considerando o de Moema que já foi lançado)", afirmou Fugazza.

Para o executivo, ainda é "arrojado" dizer que ocorrerá uma retomada dos lançamentos da empresa. "Temos os terrenos e estamos olhando com lupa determinadas localizações e entendendo se lançar produtos naqueles lugares de fato vai ter alguma demanda."   Continuação...