Temer planeja reequilíbrio fiscal gradual em eventual governo, diz Moreira Franco

quarta-feira, 13 de abril de 2016 20:06 BRT
 

Por Alonso Soto

BRASÍLIA (Reuters) - O reequilíbrio das contas públicas brasileiras será feito de forma gradual e acompanhado por políticas que criem empregos e aumentem a renda em um eventual governo do vice-presidente Michel Temer, disse à Reuters o ex-ministro Wellington Moreira Franco (PMDB) nesta quarta-feira.

Temer pode se tornar presidente do Brasil nas próximas semanas, caso seja aprovado o impeachment da presidente Dilma Rousseff pelo Senado Federal.

Moreira Franco, um dos políticos mais próximos do vice-presidente e que ajudou a escrever o plano econômico do PMDB, disse que o maior desafio de uma eventual administração Temer será recuperar as finanças do país.

"A busca do reequilíbrio terá que ser compatibilizada com incentivos para gerar emprego e renda", disse Franco. "Tem que ser um reequilíbrio gradual... senão você sufoca a população."

Muitos investidores têm apostado em um plano agressivo de austeridade em uma eventual gestão Temer, como forma de recuperar a confiança no país e o grau de investimento por parte das agências de classificação de risco.

Um eventual governo Temer terá como foco a atração de capital privado para infraestrutura, serviços públicos e o setor de petróleo e gás, disse Franco, que já foi governador do Rio de Janeiro e ministro da Aviação no governo Dilma.

Ele disse que Temer vai impulsionar as concessões nas áreas de saneamento básico, habitação e transporte urbano e que serão oferecidas melhores condições aos investidores, evitando os erros da administração da presidente Dilma, que queria uma taxa menor de retorno.

"Teremos mais concessões com regras mais claras e sem ideologia", disse Moreira Franco, acrescentando que o governo Temer também buscaria parcerias com investidores.   Continuação...

 
Vice-presidente Michel Temer concede entrevista em Brasília.  11/4/2016. REUTERS/Ueslei Marcelino