BC do Japão tem "muitas maneiras" de afrouxar política monetária, diz Kuroda

quinta-feira, 14 de abril de 2016 07:30 BRT
 

Por Leika Kihara

NOVA YORK (Reuters) - O presidente do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, disse que o banco central japonês está pronto para expandir os estímulos monetários novamente se a recente fraqueza nas expectativas de inflação persistir, ressaltando que há "muitas maneiras" de fazê-lo para cumprir sua ambiciosa meta de preços.

Kuroda também descartou a tese de que a decisão do banco central em janeiro de adotar taxas de juros negativas mirava diretamente enfraquecer o iene para favorecer as exportações japonesas.

"Eu posso dizer claramente que nossa política monetária... não mira as taxas de câmbio", disse ele na quarta-feira em seminário organizado pela Universidade de Columbia.

Kuroda fez as declarações antes de reunião de líderes financeiros do G20, grupo que reúne as principais economias do mundo, em Washington nesta semana. Espera-se que a política cambial ocupe lugar de destaque na pauta diante do crescimento global contido.

Apesar de manter sua visão otimista sobre as perspectivas econômicas para o Japão, Kuroda reconheceu que as expectativas de inflação -- elemento chave para o sucesso de seu imenso programa de estímulos -- têm se enfraquecido nos últimos meses.

"Se há qualquer risco de o declínio das expectativas de inflação afetar o cumprimento de nossa meta de preços... não vamos hesitar em afrouxar as condições monetárias", afirmou, sinalizando a disposição do Banco do Japão em agir novamente ainda neste mês.