Bovespa fecha em alta 1,56% antes de votação do impeachment de Dilma na Câmara

sexta-feira, 15 de abril de 2016 18:02 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em alta nesta sexta-feira, renovando máxima em nove meses, com investidores na expectativa de que a Câmara dos Deputados aprove a abertura de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no domingo.

Descolado da fraqueza externa, o pregão também foi marcado pelos últimos ajustes para o vencimento dos contratos de opções sobre ações que acontece na segunda-feira na bolsa paulista.

O Ibovespa subiu 1,56 por cento, a 53.227 pontos, máxima de fechamento desde 14 de julho de 2015.

O volume financeiro totalizou 8,7 bilhões de reais.

Na semana, o Ibovespa acumulou alta de 5,8 por cento.

Após sofrer leve realização de lucros na quinta-feira, o índice de referência do mercado acionário local retomou o viés positivo nesta sexta, no primeiro dia do rito de votação do impeachment na Câmara dos Deputados. A alta foi amparada por levantamentos mostrando que a oposição já teria conseguido os votos 342 votos necessários para a aprovação do impeachment na Câmara. [

Profissionais da área de renda variável avaliam que a reação da bolsa ao resultado da votação no domingo deve depender do placar de votos. "Se vier algo como 380 votos a favor, pode dar mais suporte ao pregão", arriscou um gestor.

Para efeito de comparação, considerando as diferenças entre os dois cenários, no dia em que a Câmara dos Deputados, em setembro de 1992, aprovou a abertura do processo de impeachment do então presidente Fernando Collor, o Ibovespa subiu 7,6 por cento, mas no dia seguinte recuou 1,8 por cento.   Continuação...