Repsol Sinopec encontra coluna de hidrocarbonetos de 175 m em poço Gávea A1

segunda-feira, 18 de abril de 2016 09:41 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O consórcio do bloco petrolífero BM-C-33, formado por Repsol Sinopec Brasil, Statoil e Petrobras, informou nesta segunda-feira que encerrou a perfuração e o teste do poço Gávea A1, que apresentou coluna de hidrocarbonetos de 175 metros em reservatório de boa qualidade caracterizado por carbonatos silicificados da formação Macabu (pré-sal).

A Repsol Sinopec Brasil, operadora do bloco na Bacia de Campos com 35 por cento de participação, em parceria com Statoil (35 por cento) e Petrobras (30 por cento), afirmou que o Gávea A1 foi o quarto poço de avaliação do Plano de Avaliação da concessão que compreende as descobertas de Seat, Gávea e Pão de Açúcar.

A profundidade final foi alcançada em 6.230 metros. O poço foi testado com sucesso, produzindo cerca de 16 milhões de pés cúbicos de gás e 4.000 barris de óleo por dia, disse a Repsol Sinopec Brasil em nota.

O consórcio também já perfurou e testou os poços de avaliação Seat-2, PdA-A1 e PdA-A2. O potencial de recursos das três descobertas está em avaliação, segundo comunicado.

Com o poço Gávea A1, a Repsol Sinopec Brasil e suas parceiras finalizam as operações previstas de avaliação do bloco BM-C-33 e entram em uma etapa durante a qual o consórcio analisará os resultados para definir os cenários de desenvolvimento comercial do bloco, afirmou a Repsol Sinopec Brasil.

Além disso, seguindo um acordo entre os parceiros do bloco BM-C-33 reportado em dezembro de 2015, a Statoil deve se tornar a nova operadora da concessão, dependendo ainda da aprovação da ANP, acrescentou a Repsol Sinopec Brasil.

(Por Roberto Samora)