CSN abre processo para forçar Usiminas a rever plano de capital, dizem fontes

segunda-feira, 18 de abril de 2016 18:21 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Siderúrgica Nacional abriu processo para tentar obrigar a Usiminas a usar recursos do caixa de uma subsidiária e rever os termos do planejado aumento de capital de 1 bilhão de reais aprovado nesta segunda-feira. A CSN entrou com a ação na semana passada para forçar a Usiminas a transferir cerca de 900 milhões de reais do caixa da Mineração Usiminas para os cofres da siderúrgica, disseram as fontes, que pediram anonimato uma vez que o processo está sob sigilo. A ação foi rejeitada na sexta-feira, disseram as fontes.

O processo também pede a anulação dos termos do aumento de capital aprovado, sob o argumento de que vai diluir e ser prejudicial aos minoritários da Usiminas, disseram as fontes. Sob os termos do plano de capital, a Usiminas pode buscar 1 bilhão de reais em uma oferta de ações ordinárias.

O movimento ilustra os esforços da CSN para ter mais direitos de opinião na Usiminas, que está sucumbindo ao aumento das importações chinesas, uma recessão profunda e um racha entre os acionistas controladores, o Nippon Steel & Sumitomo Metal e o Techint Group.

A CSN tem 14,1 por cento das ações ordinárias da Usiminas e 20,7 por cento das ações preferenciais.

A CSN não quis comentar.

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica decidiu em 2015 que a CSN não poderia participar diretamente no conselho da Usiminas. As fontes disseram que a CSN não está considerando tais planos ou uma fusão com a Usiminas neste momento.

A CSN considera a proposta de 5 reais por ação para o aumento de capital "muito baixo", de acordo com fontes.

As ações da CSN saltaram 4 por cento, para 12,38 reais nesta segunda-feira. As ações sem direito a voto da Usiminas subiram 1,4 por cento, para 2,13 reais.

  Continuação...