Mercado brasileiro se movimenta para comprar milho dos EUA

quarta-feira, 20 de abril de 2016 18:03 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - Indústrias de aves e suínos do Brasil já começam a se movimentar para compras de milho dos Estados Unidos, embora nenhum negócio tenha sido oficializado, após o governo federal anunciar na véspera a eliminação de uma tarifa cobrada sobre compras de fora do Mercosul.

"Todo mundo está tateando para ver se vai fechar a conta. Mas minha opinião pessoal é de que os negócios vão andar, sim. Vai evoluir semana que vem, pois tem feriado amanhã", disse um operador de milho de uma trading internacional.

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) aprovou a isenção de taxa na importação de milho para uma cota de 1 milhão de toneladas, válida por seis meses, diante de uma escassez do cereal no mercado interno que levou os preços do produto a patamares recordes.

A decisão, contudo, ainda precisa ser oficializada com uma publicação no Diário Oficial da União.

"Certeza que o mercado está trabalhando essas importações dos EUA. Mas acho que só fecham quando tiver a certeza que foram retirados impostos ou quando as regras estiverem 100 por cento claras", ponderou o diretor de Inteligência de Mercado da corretora Cerealpar, Steve Cachia. "Estamos falando em negócios de milhões de dólares."

O Brasil já vem comprando bons volumes de milho da Argentina e do Paraguai, em negócios isentos de tarifas de importação.

O principal destino das compras dos Estados Unidos deverá ser o Nordeste do Brasil.

"Eu acho que vão ocorrer negócios. Os 8 por cento (eliminados sobre a importação) são um valor muito expressivo", disse o vice-presidente de Abastecimento da Associação Avícola de Pernambuco, Josimário Florencio.   Continuação...