Eldorado vê recuperação de preços de celulose na China a partir de junho

quarta-feira, 20 de abril de 2016 19:00 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A Eldorado Brasil está vendo um segundo trimestre de volumes fortes de celulose, após apresentar melhora no resultado operacional de janeiro a março, e espera que os preços do insumo mostrem tendência de recuperação na China a partir de junho.

A fabricante de celulose do grupo J&F divulgou nesta quarta-feira prejuízo de 180 milhões de reais no primeiro trimestre, devido ao impacto do dólar mais forte no seu resultado financeiro. A empresa, que começou a operar no fim de 2012, tinha registrado prejuízo de 60 milhões de reais em igual etapa de 2015.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi de 483 milhões de reais de janeiro a março, avanço de 63 por cento sobre o mesmo período do ano anterior. A margem Ebitda ficou em 65 por cento.

A evolução da geração de caixa veio com a redução do custo de produção pela menor distância entre florestas e fábrica, inauguração de terminal próprio no Porto de Santos e efeito cambial sobre a receita com exportações. A receita líquida teve alta de 14 por cento, a 741 milhões de reais.

O volume de vendas no primeiro trimestre, porém, teve queda de 3,3 por cento na comparação anual, principalmente por conta do movimento de clientes na China e, em menor medida, no sul da Europa, para reduzir estoques, o que também derrubou os preços da celulose.

"Acreditamos que a partir de junho devemos ter o início de uma curva de recuperação de preços (na China) porque a demanda está forte", disse à Reuters o presidente da Eldorado, José Carlos Grubisich.

Segundo o executivo, em abril ainda deve haver algum ajuste de preços para baixo, seguido de uma estabilização e posterior recuperação a partir de junho.

Segundo os últimos dados da consultoria Foex compilados pelo Credit Suisse, os preços da celulose de fibra curta, produzida a partir do eucalipto, estavam na última semana em 502,08 dólares a tonelada na China, com recuo de 0,7 por cento ante a semana anterior.   Continuação...